Home Gerais Rio volta ao estágio de mobilização, mas ainda há previsão de chuva

Rio volta ao estágio de mobilização, mas ainda há previsão de chuva


O município do Rio de Janeiro retornou ao estágio de mobilização às 6h15 de hoje (26), por causa da redução dos acumulados de chuva, que caiu ontem na cidade. De acordo com o Alerta Rio, não há previsão de intensificação nas próximas horas.

Apesar das imagens do radar meteorológico do alto do Sumaré não terem detectado núcleos de chuva em seu raio de alcance, há previsão de pancadas de chuva nos períodos da tarde e da noite.

O município estava em estágio de atenção desde às 18h20 desta sexta-feira (25). Segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio (COR), o estágio de mobilização é o segundo nível em uma escala de cinco e significa que ainda há riscos de ocorrências de alto impacto na cidade, incluindo a possibilidade de nova mudança de estágio causada pela chuva ou outros fatores.

O Alerta Rio informou que o tempo na capital continuará instável neste sábado, devido aos ventos em níveis médios e altos na atmosfera.

“A previsão é de céu encoberto a nublado, com chuva moderada na madrugada e pancadas de chuvas com intensidade moderada/forte, podendo vir acompanhadas de raios e rajadas de vento moderado/forte nos períodos da tarde/noite. As temperaturas estarão em elevação em relação ao dia anterior, com mínima de 18°C e máxima de 31°C”, diz a mensagem.

Defesa Civil

A Defesa Civil, vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública, acionou, entre 19h10 e 20h01, 38 sirenes em 24 das 103 comunidades de alto risco geológico monitoradas pelo sistema de alertas sonoros da cidade, conforme os protocolos de atingimento dos índices pluviométricos. As sirenes tocaram nas comunidades de Inácio Dias, Barão, Cachoeira Grande, Cachoeirinha, Comandante Luiz Souto, Cotia, Dona Francisca, Nossa Senhora da Guia, Ouro Preto, Rocinha, Santa Terezinha, Vidigal, Vila José de Anchieta, Andaraí, Arrelia, Jamelão, Escondidinho, Prazeres, Vila Elza, Barro Vermelho, Vila Cabuçu, Barro Preto, Mangueira e Parque Candelária.

A Defesa Civil registrou chamados para vistorias em desabamento de estrutura ou ameaça, quedas de muros e danos por infiltração ou rachadura. Os bairros com maior incidência de ocorrências foram Quintino, na zona norte; e Bangu e Tanque, na zona oeste.

Interdição

Os impactos da chuva de ontem são vistos em vários pontos da cidade e foi necessário a atuação de diversos órgãos da Prefeitura para reduzir os transtornos. Para atender aos protocolos de segurança definidos pela Geo-Rio, a Avenida Niemeyer, que liga São Conrado ao Leblon, na zona sul foi interditada nos dois sentidos, de forma preventiva.

No Jardim Botânico, também na zona sul, a principal via teve interrupção do trânsito em um trecho por causa do acúmulo de água e foi necessário desviar o movimento dos veículos no local.

Outro ponto que exigiu mudança no trânsito foi no bairro do Catete, também na zona sul, onde houve grande volume de água. Na zona oeste, foram registrados vários bolsões na Barra da Tijuca e um deles provocou o fechamento de uma passagem subterrânea nos dois sentidos. Moradores da Muzema enfrentaram alagamentos.

Na zona norte, os bolsões d’água também ocorreram na pista lateral da Avenida Brasil, na altura de Benfica, sentido zona oeste e as equipes da prefeitura seguiram ainda para o Alto da Boa Vista, a Ilha do Governador, São Cristóvão, Rio Comprido, Tijuca, Maracanã, Praça da Bandeira e Vila Isabel. No Centro, uma queda de árvore bloqueou a Rua Gomes Freire, no trecho entre as ruas Visconde de Rio Branco e Relação.

Comlurb

Equipes da Comlurb atuam desde ontem com cerca de 500 garis, em diversos pontos da cidade, para a desobstrução de ralos, bolsões d’água e quedas de árvores. Os trabalhos continuam nesta manhã com a equipe de prontidão para qualquer ocorrência na capital.

Alertas

Quem quiser receber mensagens da Defesa Civil, via SMS em tempo real, sobre a ocorrência de chuvas fortes no local onde mora, precisa apenas se cadastrar com o envio do CEP da residência para o número 40199.

Guarda Municipal

A Guarda Municipal do Rio está de prontidão desde às 18h20 de ontem com 425 agentes, 166 viaturas e 60 motos, em todas as regiões da cidade. O foco é o ordenamento e a fluidez do tráfego, para reduzir os impactos provocados pela chuva. As equipes estão atuando ainda no Centro de Operações para distribuir informações sobre pontos de atenção e situações emergências.



Agência EBC

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Must Read